5 dias com vinicius matos, agencia de fotografia, aprenda a fotografar, best wedding photographer, depoimento sobre vinicius matos, escola de imagem, fearless awards, fearless photographers, fotógrafo vinicius matos, fotografia bh, fotografia de casamento, fotografia rj, fotografia sp, ispw, la foto, photography workshop, vinicius matos, wedding photographer, wedding photography, Workshop de casamento, workshop de fotografia, workshop de fotografia de casamento, criatividade fotografia, composição de fotografia, direção de noivos, fotógrafo, belo horizonte, rio de janeiro, carta, noiva

Olá pessoal! Recebi uma carta no mês passado de uma noiva que quer me contratar para fotografar o seu casamento. Essa carta me fez pensar numa coisa muito importante para um ofício como o de fotógrafo de casamentos e família: quando você faz o que ama, quando você se dá para aquilo, além de tudo fluir melhor e você ser mais feliz, as pessoas de fora e as pessoas que estão próximas a você irão reconhecer isso. É assim que se destaca nesse meio, através de contatos humanos e verdadeiros.

Fiquei tremendamente emocionado pelas palavras de Jéssica (os nomes dos noivos foram trocados para dar privacidade ao casal) e sua história. A fotografia de família tem seu valor patrimonial e o casamento é o primeiro capítulo dessa nova história. No caso de Jéssica, existe um livro inteiro antes do primeiro capítulo.

Leia a carta abaixo:

Belo Horizonte*, 15 de setembro de 2017

Querido Vinicius Matos,

Essa não é uma carta de agradecimento por tudo o que você fez por mim. Também não é uma carta para te dizer o quanto eu admiro você e sua fotografia.

Estou lhe escrevendo na esperança que você fotografe o meu casamento com Armando*.

Não vou escrever nossa história aqui porque são 22 anos, é muito longa e tenho certeza que você não teria paciência. Vou simplificar:

Passei 10 anos casada com outra pessoa, pensando como seria se tivesse casado com Armando (conheci ele com 15 anos, ficamos indo e voltando por 9 anos).

Me acostumei a um trabalho, a um casamento e a uma vida mais ou menos. Armando também se casou, mas não foi uma boa ideia. Acredito que nossos antigos casamentos não deram certo porque Armando e eu temos uma ligação (quase um karma) de outras vidas. E o motivo de querer tanto me casar com ele é simples, não quero passar por essa vida sem saber como seria se tivesse me casado com meu amor verdadeiro.

Ambos deixamos uma vida estável para nos arriscar e ficarmos juntos. Nosso casamento fechará um ciclo.

Meu maior medo é não conseguir pagar você. Por que quanto se deve pagar para seu maior ídolo estar presente e registrar o desejo de toda uma vida? Não sei nem calcular…

Mas, hoje na minha vida, não há nada que eu queira mais do que ter a nossa história gravada para sempre com o seu olhar.

– Jéssica*

* Os nomes e cidade foram trocados.

Deixe um comentário

Comment