MENU

A fotografia documental de família ainda é um bicho de sete cabeças para muitos de nós fotógrafos. Foi por isso que resolvi, com esse artigo, ajudá-los a entender melhor o assunto que não é tão complexo assim. Hoje o fotógrafo e professor que aqui lhes escreve, fotógrafo de casamento (agora ativo apenas fora dos gramados) e um FOTÓGRAFO DOCUMENTAL DE FAMÍLIA atuante, mega empolgado e em uma fase frenética de reinvenção.

Por falar em reinvenção, no início deste ano, tomei a decisão de deixar os gramados  e me aposentar na fotografia de casamento. Como muitos sabem foi uma decisão muito dura já que o meu nome sempre esteve intimamente ligado a fotografia de casamento. De repente, eu decidi virar técnico, treinar fotógrafos de casamento ao invés de simplesmente atuar em campo. Uma decisão difícil que me tirou o sono por algum tempo. Aliás uma das mais duras da minha vida.  Relutei, pensei, passei noites em claro mas no final decidi escutar o meu coração, que desde 2013, há 5 anos, se apaixonara pela FOTOGRAFIA DOCUMENTAL DE FAMÍLIA.

Naquela época eu fotografava muitos casamentos e consequentemente dava continuidade aos registros a medida que os filhos nasciam. Uma dessas famílias, cujo casamento fotografei em 2007, já estava bem crescida (Sabrina, Felipe, Luíza e Artur) e já estávamos na nossa quinta ou sexta sessão. Decidimos juntos que aquele ensaio seria diferente, sem direção, mais espontâneo e duraria mais tempo. Resolvemos então fotografar na casa da avó onde passamos uma tarde que mudou a minha relação com a fotografia e com a vida.

O resultado na época me emocionou e ainda hoje me encanta. Desde então me dediquei ao estudo da fotografia documental com o objetivo de me tornar um especialista no assunto. A fotografia documental foi como uma luz que se acendeu em minha vida. Paixão a primeira vista que o destino, me pediu que interrompesse depois de algumas sessões que fiz em 2013 e 2014. Não era hora de me dedicar integralmente a ela. Fiz alguns posts escrevi o primeiro artigo sobre o assunto no país para a Revista Fotografe Melhor (link abaixo) e em 2015 dei uma pausa colocando-a na geladeira. Eu precisava antes resolver com urgência a minha relação com a fotografia de casamento e claro, tinha algumas pendências importantes na minha vida pessoal que requeriam muita atenção e energia.

2018 veio e já não podia mais conviver com a dúvida. Poderoso se torna quem, além de sonhar coloca esses sonhos em prática. Em janeiro voltei com força total. Esse ano já fiz mais sessões documentais que nos últimos 4 anos, e posso dizer que esse ainda é o começo, ou melhor, o meu recomeço. E antes de mostrar o emocionante registro que fiz com a família Soares, gostaria de te contar um pouco mais, te dizendo os 5 motivos que me levaram a fotografia documental de família.

  1. A fotografia documental de família é espontânea

Durante meus ensaios, que duram aproximadamente 12 horas, eu evito dirigir, pedir cenas, situações, olhares e sorrisos. Olhando as minhas fotos de criança, as que mais me chamaram a atenção, foram as espontâneas, em que eu estava isento de personagens e era eu mesmo.

2. A fotografia documental de família me permite contar histórias mais profundas e interessantes

Eu continuo com os ensaios de família de curta duração pois nem todos os clientes estão preparados para o ensaio documental.  No entanto, não posso esconder que sou tão apaixonado pelas histórias quanto  pelos resultados.  Se passo então mais tempo inserido na história, mais oportunidades tenho de contá-la com maior profundidade.

3. Na fotografia documental de família eu passo muito mais tempo com as crianças.

Eu nunca imaginei que eu teria facilidade de me comunicar com as crianças. No ensaio documental de família tenho a possibilidade de me comunicar e passar mas tempo com elas o que aumenta ainda mais o prazer que tenho nesse trabalho. Fotografar já é um prazer por si só, agora quando tenho a oportunidade de fotografar algo que me emociona, o trabalho vira brincadeira e eu me sinto em paz. Aliás, PAZ é um estado de espírito que persigo hoje em dia.

4. Fotografia documental de família é memória

Se pudéssemos viajar no tempo e fôssemos ao ano de 2028, dez anos a partir de hoje, e perguntássemos a uma família que tem dois álbuns de fotos, um documental e outro tradicional, quais imagens representariam mais a infância dos seus filhos, o que será que eles responderiam? Eu posso falar por mim. Eu tenho inúmeros álbuns de família da minha infância, já que meu pai era um fotógrafo entusiasta. Os que eu mais gosto são os álbuns em que nós (eu e minhas irmãs) brincávamos e agíamos sem os pedidos de sorrisos para as lentes. Simplesmente éramos nós mesmos. Vejam bem, não quero desvalorizar aqui os ensaios tradicionais e sim valorizar ainda mais os ensaios documentais que para mim carregam muito mais MEMÓRIAS.

5. A fotografia documental de família tem algo em comum com a fotografia de casamento

Você deve estar se perguntando o que a esses dois tipos de fotografia tem em comum. Simples, em ambos eu conto histórias e consequentemente tenho que desenvolver uma linguagem própria que me diferencie quanto fotógrafo (essa eu já tenho desenvolvido há alguns anos) e uma narrativa para cada história  de família. Em outras palavras, as habilidades que desenvolvi como fotógrafo de casamento continuam sendo exigidas na fotografia documental. Muda o tipo de fotografia mas não muda a linguagem nem a narrativa. Não é legal isso? Em breve escreverei um artigo que fale sobre narrativa e storytelling.

Do fundo do meu coração eu espero que este artigo tenha ajudado você que é fotógrafo de família e você que ainda não é fotógrafo de família mas que um dia, quem sabe, será.

Um beijo no coração de todos vocês!

LINKS RELACIONADOS AO TEMA DO ARTIGO

Clique AQUI para ler o artigo que escrevi sobre a minha aposentadoria na fotografia de casamento.

Baixe  AQUI o PDF de uma matéria que escrevi para a Revista Fotografe Melhor sobre a fotografia documental de família.

Se você quer aprender mais sobre fotografia documental de família, baixe o PDF do meu workshop Memórias de Família.

 

 

Comentários

Gostei da sua atitude de mudança, gosta de pessoas com coragem de quebrar paradigmas, assim também é minha história. Obrigada pelas dicas sobre fotografia documental. E ótimo recomeço para você.

Bacana o relato Vinicius… e que fotos eim! Parabéns!!

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

FECHAR MENU